segunda-feira, 4 de março de 2013

SÃO BENTO. Iphan inicia pesquisa arqueológica emergencial para salvar patrimônio de Maragogi Começa o resgate das ruínas do mosteiro

Arqueólogos começaram a fazer levantamento na área do mosteiro de São Bento
Foto: SEVERINO CARVALHO
Por: SEVERINO CARVALHO – REPÓRTER GAZETA

Maragogi – Ruínas remetem à destruição, modificação a um estado pior. Contudo, o que sobrou de uma estrutura do século 18, com paredes rachadas – entranhas expostas num pedido de socorro – tem muito a dizer sobre uma época importante da história de Alagoas. Em busca desse passado, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) deu início à pesquisa arqueológica emergencial das ruínas da igreja (mosteiro) de São Bento, no distrito homônimo, em Maragogi.

Uma equipe multidisciplinar formada por 12 profissionais – entre arqueólogos, historiadores, turismólogo, arquiteta, médico e
enfermeira – está imbuída na missão de resgatar esse capítulo da história que mistura religiosidade, cultura e reafirmação social. Os trabalhos começaram ainda em dezembro, com a elaboração do projeto e as visitas técnicas, e devem ser encerrados em junho.

Os profissionais integram a
empresa
catarinense Sapienza, Arqueologia e Gestão do Patrimônio, que venceu a licitação aberta no ano passado pelo Iphan. “O projeto está orçado em aproximadamente R$ 192 mil e já era um desejo antigo do Iphan em Alagoas, mas não tínhamos recursos”, informou o arqueólogo do Instituto, Henrique Pozzi.